Afinal, o que é Rigging e como ajuda na criação de personagens? Escola SAGA
Entenda o que são desenhos vetoriais
06/28/2019
Descubra agora como escolher o melhor programa de edição de vídeo
06/28/2019
Exibir Tudo

Toy Story, Gears of Wars, Up! Altas Aventuras. A lista de animações no mercado de entretenimento é longa. Seja em jogos, filmes ou comerciais de TV, essas produções ocupam um grande espaço nas telas. Mas você sabe como é o processo de criação de cada um daqueles personagens?

O desenvolvimento de uma animação envolve uma grande equipe. Desde a idealização do roteiro até a materialização da ideia, muitos profissionais participam dessas etapas. A criação de personagens tridimensionais, por exemplo, vai muito além de adicionar luz e sombras nos desenhos. É preciso que eles girem, se movam e caminhem, ações essenciais para que a animação se torne mais realista.

O processo de rigging é exatamente essa etapa das produções. Por meio da estruturação de um esqueleto digital e articulações no personagem, é possível que os animadores adicionem movimentos que auxiliarão na construção das animações.

Se você quer saber o que é rigging e como ele ajuda na criação de personagens, continue a leitura e conheça um pouco mais sobre o processo de desenvolvimento dos seus games preferidos!

O que é rigging?

Rigging é uma técnica de animação em 3D que adiciona movimentos ao personagem por meio da construção de uma série de “ossos”, simulando a estruturação de um corpo humano real.

A partir do desenho estático e da noção do funcionamento de movimentos orgânicos, o profissional responsável pelo rigging insere, por meio do software, articulações e estruturas que servirão como controle para a movimentação do personagem.

Apesar de ser comumente utilizado para animar seres humanos, a técnica não se limita a isso. Ela pode ser usada para a deformação de qualquer objeto, tornando o processo muito mais intuitivo. Os principais softwares para essa função são Blender, Maya, After Effects e o 3DS Max.

Por que a animação esquelética é importante?

Imagine que você queira produzir um curta-metragem sobre as aventuras de um espião. Certamente, seu personagem terá que fazer inúmeros movimentos para poder se esconder de seus inimigos. Talvez ele tenha que correr, pular e se abaixar. Você sabe por onde começar a produção?

Provavelmente, a primeira ideia que passe pela sua cabeça seja de desenhar, frame por frame, cada movimento desse seu personagem, como em um stop motion. Mas não precisa se desesperar pensando no trabalhão que isso dará. É por isso que a animação esquelética é importante e pode otimizar o seu trabalho.

Para automatizar esse processo e torná-lo menos tedioso, o rigging transformará o seu personagem estático e inanimado em uma “marionete”. Assim, seu personagem terá uma estrutura muito mais articulada, evitando que o resultado fique distorcido ou deformado.

 

E como o esqueleto é colocado?

Colocar o esqueleto no personagem talvez seja a parte mais simples do processo. Basta colocar as articulações no exato lugar onde deveriam estar no mundo real, certo? Conhecer muito bem o software que será utilizado para a realização dessa etapa é de extrema importância para tornar o trabalho muito mais eficiente.

Embora a disposição dos ossos e articulações seja uma etapa razoavelmente compreensível, algumas exceções merecem muita atenção para que você entenda o funcionamento do software como um todo. Dê uma olhada:

Hierarquia

Para que a animação funcione adequadamente, os ossos e articulações devem seguir uma hierarquia. A primeira articulação que você coloca é chamada de articulação da raiz. É importante estar atento a esse detalhe, pois todas as outras articulações que forem inseridas estarão conectadas direta ou indiretamente a ela.

Tenha em mente que ao rotacionar ou movimentar uma articulação da raiz — ou “articulação pai” — todos os outros ossos relacionados a ele também se movimentarão. Por exemplo, mover um osso da coxa também movimentará toda a perna e as articulações ligadas a ela.

Cinemática inversa

Outro detalhe que também é essencial para a construção do esqueleto é a cinemática inversa. Alguns termos são bem complexos para quem está começando a trabalhar com animação 3D. Mas vamos tentar deixar isso mais claro para você.

A cinemática inversa é um tipo de programação de movimentos que tem por objetivo garantir que os personagens se conectem fisicamente com o ambiente, ou seja, que a interação entre esses dois elementos não aparente ser tão artificial.

A fim de evitar que o animador tenha que definir a rotação e posição de cada articulação individualmente, a cinemática inversa permite que o profissional apenas manipule a ação e deixe que o algoritmo selecione os ângulos apropriados para os membros participantes desse movimento.

Vamos voltar ao exemplo do espião. Se você deseja que o seu personagem abra a porta com cautela, não basta apenas mover as articulações da mão até a maçaneta, é preciso calcular o posicionamento necessário do tronco e membros — punho, cotovelo e ombro — que participarão da ação para que a mão se localize próxima à porta.

O seu cérebro faz esse cálculo automaticamente sem que você se dê conta, mas, se quiser dar vida a um personagem, é preciso que você tenha em mente todos esses detalhes para que sua animação seja bem-sucedida.

Expressões faciais

Geralmente, a etapa de criar expressões faciais para o personagem é feita de maneira separada dos principais controles de movimento. Para criar movimentações satisfatórias para o rosto é preciso redobrar a atenção, pois os detalhes de cada expressão contam muito na hora da animação.

Como você pôde perceber, a animação esquelética pode não ser uma tarefa fácil. Além do conhecimento do software para desenvolver essa etapa, é fundamental que o responsável tenha discernimento sobre a composição humana e articulações para o movimento. Por isso, realizar um curso voltado para a computação gráfica e design 3D é de extrema importância para aumentar a precisão e o realismo da animação.

Ao procurar um curso que atenda a essa necessidade, tenha em mente que buscar uma escola de qualidade e bem-conceituada no mercado faz total diferença na hora de se posicionar no ambiente de trabalho.

 

 

Gostou de saber mais sobre o que é rigging e se interessou pela área de animação digital? Então, entre em contato conosco e conheça nossos cursos que ajudarão você a se posicionar bem no mercado!